Pages

17 de mai de 2010

O Novo Pesadelo de Freddy Krueger


Existem dois motivos para Hollywood insistir em fazer refilmagens: ou é pra mostrar para uma nova geração os filmes antigos que fizeram sucesso, ou simplesmente porque Hollywood não tem mais idéias novas para fazer filmes. Acredito que seje a primeira opção, e até acho interessante mostrar para a geração de jovens de hoje filmes dos anos 70 , 80 e 90, que foram os melhores anos para filmes. Os anos 2000 foi marcado pelas refilmagens, e parece que a partir de 2010, ainda vão existir mais refilmagens. Sente só algumas que estão programadas: A Casa do Espanto, Brinquedo Assassino, Os Pássaros (sim, isso mesmo), Piranha (agora em 3D), Predador e Fúria de Titãs (programados para esse ano), entre outros. Depois de algumas bem sucedidas refilmagens, como O Massacre da Serra Elétrica, Viagem Maldita e Halloween; e depois da versão idiota, podre, horrivel e nada a ver Sexta-Feira 13, agora é a vez do personagem de terror mais assustador e interessante voltar para assustar em seus sonhos, ou melhor, pesadelos.

Ao fazer uma refilmagem, é impossivel não fazer comparações com o original, e ver que não precisavam existir refilmagens. Os personagens, o desenrolar da história, até algumas cenas dessa nova versão, são iguais as do original. Em geral, A Hora do Pesadelo (2010) conseguiu ser uma boa refilmagem, porque manteve elementos do original; ao contrario da refilmagem de Sexta-Feira 13, que foi.... sem comentários! Para quem não sabe, ou não se deu conta quando viu, o ator Johnny Deep aparece no A Hora do Pesadelo original, bem novo, quase que irreconhecível, mas era ele sim; assim como o ator Kevin Bacon, que apareceu no Sexta-Feira 13 original. Nessa versão, um personagem morre logo no inicio, e sua amiga, Kris (Cathie Kassidy) presencia o "suicídio". Mais tarde, ela começa a ter esses mesmo pesadelos, com um homem com a cara queimada e garras no lugar da mão. Outros amigos dela também começam a ter esses pesadelos. Todos esses amigos tem algo em comum, e o motivo também porque só eles estão tendo esses pesadelos. Sobra então para Kylle Gallner (Quentin) e Rooney Mara (Nancy) desvendarem esse segredo, que envolve até os pais desses garotos. 

A história é praticamente a mesma do original, alguns personagens também, e as cenas: como a da morte na cama, a da Nancy na banheira, o lugar onde o Freddy aparece nos sonhos; tudo isso foi fiel. Na versão original, e em todas as sequências, o ator Robert Englund viveu o famoso personagem, Freddy Krueger, que era perfeito para o personagem. Na versão de 2010, coube ao ator Jackie Earle Halley, de Pecados Intimos, Ilha do Medo e Watchman, viver o personagem. A atuação de Jackie como o Freddy até que foi bem fiel ao original, mas o rosto desse Freddy ficou muito artificial, muito efeitos especiais, não sendo nada assustador comparado com o Freddy antigo. Sem falar que esse novo Freddy está mais baixo que o original. Uma coisa que faltou nesse Freddy, e que foi uma marca dele nos filmes antigos, foi o sarcasmo, o estilo zombador, o humor de um assassino que brinca com as memórias escondidas no inconsciente de suas vítimas. Outra coisa, que ficou meio exagerado, foi o excesso de sangue e os gritos histéricos das personagens, que nos filmes de terror da atualidade, sempre tem, ainda mais nos que Michael Bay produz. Essa versão nova não chega nem perto da versão original, e nem assusta da mesma forma como os filmes de terror de antigamente, mas para uma refilmagem se saiu bem, mantendo vários elementos importantes do filme original. Ao contrário da versão nova de Sexta-Feira 13.   




TRAILER




























Nenhum comentário:

Postar um comentário