Pages

18 de jul de 2010

Confusão no funeral


Parece que não é só nos filmes de terror que Hollywood resolve fazer os seus famosos "remakes". A prova disso é a comédia Morte no Funeral (Death At a Funeral), refilmagem do filme britânico de mesmo nome, lançado em 2007. O original ganhou vários prêmios e a crítica falou muito bem do filme, e realmente, é muito bom. A versão americana não agradou muito os seus anfitriões, e com isso, o filme será lançado no Brasil direto em DVD, em agosto. O filme tinha data marcada para estrear nos cinemas daqui em junho. 

A história é a mesma, os acontecimentos também, assim como os personagens, a única diferença, é que os personagens são negros; e os da versão original, brancos.  Uma família perde um membro importante: o patriarca. Um funeral é realizado na casa onde ele morava, com todos os famíliares e amigos. O que era para ser um funeral triste, acaba se tornando uma confusão atrás da outra. O principal problema que eles tem que enfrentar, é o de um misterioso anão que aparece no funeral, que logo faz uma chantagem financeira com os filhos, ameaçando contar um segredo obscuro que o pai deles escondeu de todos. 

Morte no Funeral tem um elenco de peso: Chris Rock, Martin Lawrence, Tracy Morgan, Danny Glover, Regina Hall, James Marsden, Zoe Saldana, Columbus Short e Loretta Devine.  As risadas são garantidas na versão americana, e a diversão também. Os maiores atrativos do fime são os personagens de Danny Glover e James Marsden; além claro, do anão, protagonizado pelo ator Peter Dinklage. James Marsden é o namorado branco que toma alucinógeno, ao invés de calmante, e apronta algumas das melhores confusões no filme; Danny Glover é o avó chato e emburrado, que sempre reclama de tudo e de todos; mas nenhum chega a ser tão engraçado quanto o personagem de Peter Dinklage, que interpreta o anão com o misterioso segredo do patriarca. Após revelar o segredo, e fazer as ameaças aos personagens de Chris Rock e Martin Lawrence, começa a diversão. E eles fazem de tudo para o pequeno pilantra não revelar o segredo, inclusive colocá-lo dentro do caixão do falecido. O único problema, é que o filme perde a graça ao transformar um filme britânico em uma versão americana. O humor não  é tipicamente americano, ou seja, não é o tipo de filme que os americanos gostam; e para resolver esse problema, o diretor investiu nas piadas, nos trocadilhos, tipicamente americanos.   O filme não é ruim, mas não combina para um filme com atores americanos: os filmes de comédia americanos, são a maioria besteirol, e Morte no Funeral não é assim. Independente disso, a diversão é garantida, em ambos os filmes. A crítica serve para os dois filmes, porém, a versão americana não é tão boa quanto a britânica.  Tudo é basicamente igual nos dois filmes; o que faz a diferença, é o humor negro, que é muito melhor elaborado na versão britânica. Morte no Funeral (2010) chega nas locadoras lá pela metade de agosto; já a versão britânica, já está nas locadoras, e talvez, você já tenha assistido. 
















Coloquei também, para quem quiser assistir, a versão original lançada em 2007. Vale a pena conferir essa versão, que é mais engraçada ainda do que a versão americana. 















Nenhum comentário:

Postar um comentário