Pages

20 de set de 2010

Alice e seus amigos em 3D


A atriz ucraniana Mila Jovovich volta a encarar pela quarta vez, a personagem Alice, na péssima e bem sucedida série Resident Evil, baseado no jogo de videogame de mesmo nome da Capcom. A cada filme, o nível de ação aumenta, assim como a decepção. Resident Evil 4: Recomeço chega nos cinemas em 3D, com o mesmo sistema de câmera e tecnologia feita por James Cameron, no filme de maior bilheteria da história: Avatar. O resultado de tudo era o que eu já esperava: o filme é uma merda! Desculpa o palavrão. Claro que depende da visão: um fã do jogo de videogame, que conhece toda a história e os personagens, como eu, vai odiar o filme; quem não conhece o jogo, vai amar e achar o filme do momento. Claro que tem algumas excessões, mas é como diz o ditado: tem louco pra tudo. 

O filme começa de onde a história terminou em Resident Evil 3: A Extinção, o pior filme da série. Alice estava junto com um grupo de sobreviventes, incluindo a personagem saída direto dos videogames, Claire Redfield, mas ela se separou do grupo: eles iam para a Arcadia, um suposto lugar no Alasca onde era o unico lugar sem infecção no planeta, e Alice ia até o japão para se vingar da Umbrella. O filme começa mostrando Alice se vingando da Umbrella no japão, e dá um pulo de alguns meses. Alice vai até a tal Arcadia e não encontra nada e nem ninguém, só sua amiga Claire, que parece possuída. Sem ter o que fazer, as duas vão parar na terra do cinema, em Los Angeles, onde encontram alguns sobreviventes; entre os sobreviventes está o irmão de Claire, Chris Redfield, também do jogo de videogame. Lá, elas descobrem um pouco da verdade sobre o tal lugar chamado "Arcadia", o que aconteceu e o porque de tudo; e descobrem ainda que elas estão mais perto da Arcadia do que pensavam. O lugar onde os sobreviventes estão é um presídio, rodeado por centenas de zumbis famintos e mais evoluídos, que não demoram muito para invadir o local. E eles tem que enfrentar os zuimbis famintos e um outro monstro enorme, até chegar no tão falado lugar: "Arcadia".



Só deixa eu contar um detalhe: eu jogo Resident Evil desde os 11 anos de idade, desde 1998, quando lançaram o segundo jogo. Eu sei de cor toda a história dos três jogos para o PlayStation 1, além dos personagens e os monstros. Agora, imagina você, fã de Harry Potter, Crepúsculo, Nárnia, e sei lá  mais o que: imagina pegar os personagens e a história dos livros de vocês, e colocar os personagens num enredo totalmente diferente do livro; e ainda, mudar completamente os personagens, e AINDA mais, colocar esses personagens dos livros, os seus favoritos, como personagens secundários no filme. Estão entendendo o porquê da minha decepção com os filmes da série Resident Evil?? Pensam como seria se isso acontecesse com Crepúsculo e Harry Potter. Todo mundo reclama: tá mas Paulo, é BASEADO em um videogame, não precisa ser igual. Daí eu digo: tá, então porque não mudam toda história dos livros do Harry Potter, e mudam os personagens e o jeito como eles são? O fato é que Resident Evil, leva apenas o nome do jogo, porque com o jogo, não é nada parecido. O certo seria inventar outro nome, dizer que é inspirado em um jogo de videogame, e daí sim lançar.

Analizando Resident Evil 4: Recomeço, como um filme à parte dos jogos de videogame, RE4 é excelente; um ótimo filme de ação e terror, misturando cenas de Matrix, com o filme Madrugada dos Mortos. Matrix porque as cenas de luta são do mesmo jeito, com as cenas lentas e tudo mais; Madrugada dos Mortos, porque no RE 4, eles ficam presos dentro do presídio rodeado de zumbis, e no Madrugada dos Mortos é a mesma situação, só que dentro de um shopping. O grande atrativo de RE 4 é o 3D e o visual do filme: estão simplesmente invríveis; vale realmente a pena ver o filme em 3D, já que o filme foi, desde o início, produzido em 3D. Várias vezes o sangue dos zumbis levando bala, fica grudado na tela, dando muito mais realismo; além claro, da cena mais legal para se ver em 3D: a cena da luta no banheiro, com um monstrão enorme com uma lança de dar medo. As cenas de ação e os efeitos especiais estão perfeitos, além claro, da fotografia do filme. Realmente, RE 4 é tudo o que prometeu, visualmente. Analizando Resident Evil 4: Recomeço como um filme baseado no jogo de videogame, é uma merda total, desculpa o palavrão, de novo. A personagem Claire, do jogo, retorna, e a promessa no Twitter de Milla Jovovich, que Jill Valentine ia voltar, até aconteceu, mas não significou quase nada nesse filme, talvez no quinto filme, quem sabe? Quando ver o filme, você vai entender. Temos um novo personagem, direto dos jogos: Chris Redfield, irmão de Claire. Não fez nenhuma diferença eles dizerem que eram irmãos no filme, porque não demonstravam nenhum laço de afetividade entre eles. Além disso, tem os famosos personagens que estão ali apenas para morrer e para ter morte no filme, porque não fizeram nenhuma diferença. Não vou nem falar do enredo e dos acontecimentos, porque desde RE3: A Extinção, os filmes não tem nada a ver com o jogo. O máximo que dá para comparar com o jogo, se é que dá, é a parte final, do lugar onde eles estão, que lembrou muito os laboratórios da Umbrella, nos jogos.


Outro personagem do jogo, do primeiro Resident especificamente, aparece: Albert Wesker. Wesker está igualzinho ao jogo, todo de preto e com os óculos escuros, e é loiro. Porém, ele tem superpoderes, que nem a Alice, e isso estraga, novamente. Tá aí um exemplo do que eu disse antes: pegam um personagem do jogo e mudam ele; no caso aqui, Wesker tem superpoderes. Para que isso? Mas ele continua sendo um vilão e tudo mais.


A atração principal do filme é a personagem de Milla Jovovich, Alice. Ela é ao mesmo necessária e desnecessária: desnecessária porque Alice não é personagem de nenhum jogo, mas necessária porque é a atriz e a sua personagem que faz o filme valer a pena. A idéia de Alice ser genéticamente modifcada e tudo mais, é excelente e muito inovadora, mas que fosse usada em outro filme, porque nada disso tem nos jogos de videogame. O máximo que tem disso no videogame, é quando um personagem se auto-infecta e vira em um monstrão enorme, se tornando o famoso "chefão" do jogo. Eu não odeio a personagem Alice e a atriz Milla Jovovich, porém achei desnecessária sua personagem; e o que me deixa irritado  nisso, é que ela se torna a personagem principal, deixando os personagens do jogo, que deveriam ser os principais, como secundários.


De uma forma geral, Resident Evil 4: Recomeço é um excelente filme de ação e terror, que promete diversão, sustos e entretenimento para o espectador, mas que estraga tudo quando tenta se basear no jogo de videogame. A parte mais interessante do filme, para mim, foi a partir da cena da luta do Axeman, o monstrão enorme, até o fim. Outra coisa que deixou o filme mais interessante ainda, é pelo fato de ser em 3D, e pelo visual incrível do filme. Assista RE 4 em 3D porque realmente vale a pena gastar 21 reais para assistir, e não uma merda de 3D de Fúria de Titãs e O Último Mestre do Ar.  E se não bastasse, o final de Resident Evil 4: Recomeço deixa uma enorme brecha para o quinto filme; sim, isso mesmo: teremos um RESIDENT EVIL 5!!

Detalhe: logo quando o filme acaba, e começam os créditos, espera uns 30 segundos, mais ou menos, e outra cena vai aparecer, e uma personagem, já conhecida, aparece. Hmmm, o que será ein?
























Nenhum comentário:

Postar um comentário