Pages

11 de nov de 2010

Especial Jogos Mortais - PARTE 1

À tempos que queria fazer um especial dos filmes da série Jogos Mortais (Saw), e finalmente criei vontade e fiz. Nessa primeira parte falarei sobre os três primeiros Jogos  Mortais, os que realmente valem a pena e são bons, e mais tarde, farei um outro especial sobre os outros três filmes. Vamo começar então!

O pessoal mais velho, dos 18, 19 em diante, deve se lembrar de um filme chamado Cubo (Cube, 1997). A história de Cubo se passa, obviamente, em um cubo; mas não um só, e sim em vários cubos. Só para ter uma idéia: um cubo tem seis lados, e em cada lado tem uma porta, ou seja, o cubo tem seis portas, e em cada porta têm uma entrada para mais seis cubos iguais em cada lado (um em cima, outro embaixo e quatro dos lados), também com portas e tudo igual ao primeiro cubo que falei. Resumindo: tem infinitos cubos um em cima do outro, e dos lados. Mas não são cubos normais, e sim, cubos coloridos que em cada um deles tem armadilha mortal, ou não. E ainda, os cubos se movem. E a história mostra várias pessoas que acordam nesse lugar, e sem água, comida e outras coisas, eles passam por diversos perigos enfrentando as armadilhas mortais em cada cubo para tentar sair desse labirinto mortífero.

Porque eu falei sobre esse filme? Ah, porque Cubo lembra bastante um filme  aí que estou fazendo esse especial, Jogos Mortais. Óbvio que não é igual, mas como disse, lembra muito por causa das armadilhas mortais e pelo fato de as pessoas acordarem alí, e por fim, todas essas pessoas tem uma função e motivo por estar ali, ou seja, elas tem relação uma com as outras. 

Os filmes da série Jogos Mortais são uma mistura de Cubo com o filme de David Fincher e estrelado por Morgan Freeman e Brad Pitt, Seven - Os Sete Crimes Capitais. Por que? A história de Jogos Mortais mostra um serial killer "matando" pessoas com suas armadilhas mortais inventadas. Eu coloquei "matando" entre aspas, porque não é bem o assassino que mata as pessoas, e sim, as próprias pessoas que se matam nas armadilhas, ou não. Primeiro, serial killer quer dizer "assassino em série", que mata várias pessoas seguidas, e felizmente, isso não acontece no Brasil, ou não mais. A grande sacada do filme é essa: ter um assassino serial que não mata suas vítimas, elas mesmos se matam nas armadilhas que estão presas. Todas as vítimas do assassino, que é chamado de JigSaw, são pessoas que cometeram algum crime, ou que fazem, ou fizeram, alguma coisa de ruim à alguem; ou seja, nenhuma delas é uma pessoa boa. E essa é outra sacada de mestre, e que se assemelha com o filme Seven, porque nesse, as vítimas cometiam os tais "pecados capitais", e o assassino matava elas de acordo com o pecado cometido. Mas tem uma diferença dos Jogos Mortias: as vítimas podem escolher se querem viver ou morrer, e se escolher viver, sofrerá muito por isso, e pagará seus pecados.

O primeiro filme da série Jogos Mortais, lançado em 2004, foi considerado o melhor filme de serial killer dos últimos tempos, desde Seven. O longa foi filmado em apenas 18 dias, sendo um filme quase que "independente", e que fez enorme sucesso  de crítica e os fãs do gênero adoraram. Outro atrativo do primeiro filme, além das armadilhas que aparecem em menor número, é o final revelador e surpreendente. O final deixa mostrando que terá uma continuação, e teve, lançada no ano seguinte. Primeiro, os filmes da série seriam apenas uma trilogia, mas com o sucesso de público e crítica, eles decidiram aumentar a série para até seis filmes, sete com o "ùltimo" que foi lançado esse ano. E a partir do 4, a série foi ficando ruim em cada filme lançado. O problema é que as armadilhas mortais feitas por JigSaw ganharam fama e todos queriam ver mais morte, esquartejamento, sangue e perfurações no corpo, e por isso, o roteiro foi piorando a cada filme, e a história e as revelações presentes nos três primeiros filmes, ficaram como "secundários", tendo menos importância. Além disso, tudo ficava muito repetitivo a partir do quarto filme.

Confira agora os especiais de cada filme da primeira parte da triologia: Jogos Mortais (2004), Jogos Mortais 2 (2005) e Jogos Mortais 3 (2006). A segunda parte será postada em poucos dias.

- Confira nesse link, a segunda parte do especial Jogos  Mortais, com a segunda trilogia da série. http://paulo-am.blogspot.com/2010/11/especial-jogos-mortais-parte-2.html

JOGOS MORTAIS (SAW, 2005) - Direção: James Wan


O primeiro “jogos mortais” é o melhor da série por esses motivos:  enredo e história cheios de suspense, cenas assustadoras, e revelações surpreendentes e empolgantes em várias partes do filme; além do super final mais que surpreendente e interessante. Quem não tem medo do robozinho JigSaw, com sua risada fina, assustadora e irônica? E já pensou ser atacado por alguém que usa uma máscara de porco morto? D:



Um serial killer (assassino em série), chamado de JigSaw, está fazendo um jogo com suas víitmas, e o interessante é que ele não mata nenhuma delas: “ele seqüestra” as vítimas, prendendo elas em uma armadilha mortal, na qual devem fazer uma escolha: viver ou morrer; mas para viver, a pessoa terá que sofrer. As principais vítimas são o dr. Gordon (Cari Elwes) e Adam (Leigh Whannel): eles estão presos numa sala que parece um banheiro sujo e nojento. Nesse meio tempo, um policial, David Tapp (Danny Glover) está investigando as vítimas e os brutais crimes. Todas esses personagens têm algo em comum, e nenhum deles parece ser o que aparenta ser.




Primeiro, uma curiosidade: Leigh Wannel, que interpreta o fotografo Adam, também escreveu o roteiro desse primeiro filme. Jogos Mortais é surpreendente e Inteligente desde o início. Quando a gente descobre quem é o assassino, temos a cena reveladora que mostra quem realmente é o assassino. As cenas assustadoras acontecem quando o assassino seqüestra as vítimas, usando uma máscara de búfalo e uma roupa vermelha muito tensa. Nós temos ainda uma única sobrevivente dos jogos mortais de Jig Saw, Amanda (Shawnee Smith), que terá papel importante a partir do segundo filme. Tem também o famoso assassino, Jing Saw (Tobin Bell), que tem uma doença incurável, e no segundo e terceiro filme isso será explicado melhor. E ainda tem a esposa e a filha do dr. Gordon, que são seqüestradas pelo “assassino”. Gordon tem que matar seu parceiro de prisão, Adam, até um determinado horário, se não, algo vai acontecer com sua família. Tem um relógio pendurado na sala onde eles estão.


JigSaw faz um jogo psicológico com o dr. Gordon e Adam, que estão presos no tal lugar, e nenhum deles pode confiar um no outro; e para piorar, eles têm uma ligação na história, na qual o policial Tapp também está envolvido. Todos esses fatos fazem o filme ser muito bom e diferente de todos os outros filmes da série, que estão mais focados nas armadilhas mortais do que numa história que te prende a atenção.

Com o final revelador e surpreendente, já era de perceber que o filme teria uma continuação, e aconteceu, e Jogos Mortais 2 estreou um ano depois.










JOGOS MORTAIS 2 (SAW 2, 2005) - Direção: Darren Lynn Bousman


O primeiro filme foi um sucesso de público e crítica, e pelo, final já era de esperar que teria uma continuação. E teve: um ano depois foi lançado a continuação, dirigido dessa vez por Darren Lynn Bousman, e o roteiro ficando por conta de James Wan e Leigh Wannel. Dessa vez, as vítimas de JigSaw estão presas em uma casa abandonada, numa espécie de Big Brother violento e sanguinário.



Os assassinatos cometidos por John “Jig Saw” (Tobin Bell) continuam, e mais uma vítima aparece. Na cena do crime, Jig Saw deixa uma mensagem para o detetive Eric Matthwes (Donnie Wahlberg), que está investigando os crimes. O detetive e sua equipe conseguem encontrar o esconderijo de Jig Saw e o mantém sobre custódia. Mas isso fazia parte dos planos dele, e mais um jogo vai começar: um grupo de pessoas está preso em uma casa, e eles têm que sair antes que morram. Cada um deles tem um motivo por estarem lá, e todos estão ligados um com outro. E ainda, entre as vítimas presas, estão o filho do detetive Mathews, Daniel (Eric Knudsen), e Amanda (Shawnee Smith), sobrevivente dos jogos de Jig Saw no primeiro filme.




Jogos Mortais 2 é diferente do primeiro, porque é mais elaborado em relação aos acontecimentos do filme. Assim como no primeiro, esse segundo tem ótimas surpresas durante o filme, e uma revelação surpreendente no final, que mudará o rumo dos próximos filmes. Lembra do banheiro sujo que o dr. Gordon e Adam ficaram presos, no primeiro filme? O lugar esse aparece na sequência. Nesse segundo, mais personagens e mais armadilhas aparecem, e com isso, mais mortes e cenas fortes. Mais uma vez, os personagens têm relação um com o outro, e agora é mais interessante, e o jogo psicológico que JigSaw faz também está presente, agora no detetive Matthews, que tem o filho preso na casa onde estão acontecendo os novos jogos mortais.



Em Jogos Mortais 1, a vida do assassino JigSaw não foi muito explorada; já no segundo, e a partir desse, mais detalhes sobre ele aparecem: descobrimos o verdadeiro nome dele, John (já que somente no final do 1 que descobrimos que ele é realmente o assassino), e que ele tem uma doença incurável e está quase morrendo, e por isso ele está fazendo esses jogos com as pessoas. Assim como no primeiro, um final surpresa acontece e descobrimos que uma outra pessoa, um pupilo de John, vai continuar com os jogos mortais, já que ele está, aparentemente, morto. No final fica uma dúvida: JigSaw está morto mesmo?









JOGOS MORTAIS 3 (SAW 3, 2006) - Direção: Darren Lynn Bousman


Novamente, um ano depois, o "capítulo final" da primeira parte da trilogia teria uma conclusão. No segundo filme, descobrimos quem seguirá com os jogos mortais de JigSaw (Tobin Bell), e então, essa pessoa vai fazer os jogos mortais no terceiro filme. Jogos Mortais 3 mostra algumas coisas que ficaram inacabadas no primeiro e segundo filme; além de explicar outras coisas que aconteceram. 



Dessa vez temos duas vítimas principais: Lynn (Bahar Soomekh) e Jeff (Angus MacFadyen). Lynn é uma médica que foi sequestrada por Amanda (Shawnee Smith) para manter JigSaw vivo, enquanto Jeff, que teve seu filho morto, passa pelos testes. Amanda colocou uma espécie de bomba em Lynn, e se John morrer antes que Jeff termine de passar nos testes, Lynn também morrerá. Jeff perdeu o seu filho, e com isso, se tornou uma pessoa vingativa; e o seu teste é encontrar todas as pessoas responsáveis pela morte de seu filho: todos eles estão presos nas armadilhas e cabe a ele decidir se perdoa os que causaram a morte do filho e os liberta das armadilhas, ou se ele quer realmente se vingar, deixando que eles morram nas armadilhas.



Todo mundo do filme tem relação um com o outro, inclusive Lynn e Jeff, que são os motivos de tudo no filme. Mais armadilhas aparecem, mas dessa vez, muitas não são com corpos mutilados e essas coisas. Mas a parte mais nojenta, e um pouco forte, é a cirugia que a Lynn vai fazer no cérebro de John: ela corta a pele em uma parte da cabeça, encontra o crânio dele, e com uma FURADEIRA, isso mesmo, uma furadeira, ela faz furos em partes do crânio exposto. Mas ainda não terminou: ela pega uma espécie de serra elétrica redonda e pequena e corta o crânio em forma de um quadrado, que logo ela tira e aparece o cérebro de John. Forte né? Talvez lendo não pareça tanto, mas imagina ver isso, e com detalhes. O jogo psicológico dessa vez é com Lynn e Jeff, mas pricipalmente, Amanda. Como ela continuou com os jogos mortais, mais assassinatos estão acontecendo. Porém, Amanda está fazendo tudo errado, não de acordo com o jeito que JigSaw faz: ele dá chance da vítima de sobreviver, já Amanda não. E o jogo psicológico que ela sofre, faz ela ficar mais instável e agressiva do que já era, e isso terá várias consequências para todos, mas principalmente para ela, no final do filme. 



Em Jogos Mortais 3, tudo que ficava meio que inexplicado nos outros filmes, terá uma resposta aqui, como por exemplo: como Amanda se tornou a seguidora de JigSaw; o que aconteceu com Adam, do primeiro filme, e o detetive Mathews, do segundo, além de como JigSaw planejou o cenário do primeiro filme, com o dr. Gordon e Adam. Alguns flashbacks aparecem, explicando tudo isso. No meio de tanta explicação e flashbacks, aparece mais um flashback, mas dessa vez é diferente: dessa vez mostra uma mulher num parque, e alguém tira uma foto dela, e logo depois, aparece JigSaw com essa tal mulher. Essa tal mulher vai ser importante nos próximos filmes dos jogos mortais.



O final de Jogos Mortais 3 fecha muito bem a trilogia, explicando tudo o que aconteceu, e como aconteceu, nos filmes anteriores. Novamente temos um final ótimo e surpreendente, mas não tão revelador quanto os finais dos outros dois filmes, até porque, esse é o capítulo final da primeira parte da trilogia e njá não tinha tantas surpresas. E Jogos Mortais 3 acaba, fechando a trilogia, e sem deixar indícios que teria mais um filme. Mas isso não aconteceu né? Até porque surgiu um outro mistério: quem é a tal mulher que apareceu no flashback de John?







ATENÇÃO: SPOILERS - FINAIS REVELADORES E OUTROS DETALHES

Resolvi postar aqui no final do post, os finais reveladores de cada um dos três filmes; assim como as grandes surpresas  dos filmes. NÃO LEIA A PARTIR DAQUI SE VOCÊ NÃO VIU NENHUM DOS FILMES, OU SÓ ALGUNS.

Jogos Mortais 1: Final Revelador - desde o início do filme, tem um corpo deitado no chão. Aparentemente ele está morto. Várias coisas acontecem, e perto do final, descobrimos o assassino, Zep, que trabalha no mesmo hospital que o dr. Gordon. Porém, algo acontece na cena final: desesperado, o então assassino Zep vai até onde está Adam para conferir se tudo deu certo. Adam mata o assassino, e o dr. Gordon foge para buscar ajuda. Adam começa a revistar Zep para encontrar uma chave, mas acaba encontrando um gravador, o que indicava que Zep também estava participando dos jogos mortais, ou seja, ele não é o assassino. O verdadeiro assassino é o corpo que tava junto com dr. Gordon e Adam no banheiro, o tempo todo. O tal corpo que estava aparentemente morto, era o JigSaw verdadeiro, Tobin Bell, e ele se levanta e vai embora, fechando a porta e trancando Adam lá dentro.

Jogos Mortais 2: detalhe revelador - todos que estavam ali presos na casa tem algo em comum: eles são bandidos que foram presos pelo detetive Eric Mathews, e muitos deles foram enganados pelo detetive. E o filho dele, Daniel, está junto lá com os criminosos, e se as pessoas da casa descobrem quem ele é, Daniel estará em perigo, pois Mathews incriminou todos e por isso foram presos.

Final Revelador: a primeira parte do final revelador é a seguinte: Desde o início, JigSaw estava preso, e todos os policias conseguiam ver as pessoas que estavam dentro da casa jogando, através de umas câmeras com um cronometro em contagem regressiva. No final, JigSaw leva Eric até onde estão essas pessoas para salvar o filho; e logo depois, os policiais descobrem onde está a fonte da fita, e vão até lá.  Quando acaba a contagem, uma porta se abre, e se descobre que o filho de Eric Mathews estava o tempo todo ali com eles, preso numa espécie de cofre grande; e então, as filmagens que todos viam na tela, já tinha acontecido e terminado.  A segunda parte é quando sabemos quem vai seguir com os jogos mortais depois que John morrer. O detetive Mathews chega na casa e procura pelo filho, e acaba encontrando o lugar onde o dr. Gordon e Adam estavam presos no primeiro filme, ou seja: o mesmo lugar onde acontecia o enredo de Jogos Mortais 2, era também o mesmo lugar onde acontecia o enredo do primeiro Jogos Mortais. Ao chegar nesse lugar, Amanda (Shawnee Smith) aparece, e ela revela que vai continuar com o legado de JigSaw, alegando que ele a ajudou a superar os medos e dar valor à vida. Amanda estava no jogos mortais de JigSaw, mais uma vez, para proteger Daniel, o filho do detetive. E por fim, ela prende Mathews no mesmo banheiro do primeiro filme.

Jogos Mortais 3: detalhes reveladores: Como disse antes, Jogos Mortais 3 explica várias coisas que aconteceram nos dois filmes anteriores. Amanda e JigSaw arrumaram todo o lugar onde o Dr.Gordon e Adam estavam, ou seja: ela sobreviveu aos jogos mortais antes de começar o jogo para Gordon e Adam. As armadilhas que aparecem no início do filme foram feitas por Amanda; e as que Jeff está jogando, foi JigSaw. Amanda fazia tudo ao contrário que JigSaw fazia: as armadilhas dela não tinham como escapar e a pessoa morria. Amanda começou a ficar revoltada e se tornou uma assassina, coisa que JigSaw odeia: assassinos. E essa raiva leva para o final do filme.

Final revelador: os dois jogadores principais são a dra. Lynn e Jeff. Ele estava passando pelos testes, e se Lynn não mantesse JigSaw vivo até Jeff completar os testes, ela morre com uma explosão na armadilha que ela estava. Amanda estava muito possuída e revoltada, e ela ameaça matar Lynn várias vezes, mas JigSaw dizia que ela não podia e que a doutora era importante para o jogo. Jeff completa os testes, e JigSaw pede para Amanda soltar a médica. Mas ela não faz isso, e da um tiro em Lynn; bem na hora que Jeff chegou na sala, e descobrimos que os dois eram casados, Lynn e Jeff (ela traía ele com outro homem, e o cara que aparece no início do filme não era o marido, e sim amante). Segundos depois, Jeff dá um tiro em Amanda, que está quase morrendo e descobre que ela estava sendo testada também,  porque ela se tornou uma assassina, como disse antes, e esse foi o teste final, uma última chance para ela se arrepender. Logo Amanda morre. Mas ainda não acabou: quem estava sendo testado também era Jeff, que perdeu o seu fiilho num acidente. Ele fica preocupado com sua quase ex-esposa, e Jeff ameaça matar John, sem saber que se ele morrer, a armadilha que Lynn está presa, será ativada e ela morrerá. JigSaw fala que ele é o último teste: Jeff deve perdoar, ou não, ele por tudo o que passaram no filme. Jeff decide mata-lo, e logo a armadilha é ativada, e nesse meio tempo, JigSaw pega um gravador e liga. A gravação diz que ele não passou no teste, mas teve sua vingança; e também que a filha dele foi sequestrada é somente o quase falecido JigSaw sabe onde ela está. A bomba da armadilha que tava em Lynn explode, JigSaw morre, Jeff fica preso no lugar, e acaba.

5 comentários:

  1. Deveria ter parado no três. Os três primeiros filmes são ótimos e o 3º filme fecharia a sequência com chave de ouro, esclarecendo todas as dúvidas. Mas a ambição por dinheiro falou mais alto e fizeram mais 4 filmes desnecessários. O 4º até que foi um bom filme, mas o 5º, o 6° e o 7º foram péssimos. Já que pretendiam fazer uma sequência, os autores não deveriam ter matado o John, pois o john ficar aparecendo em flashback a partir do 4º filme não colou.

    ResponderExcluir
  2. eu nao concordo com essa afirmaçao todos os filmes sao bons e como john morreu vai haver um substituto que se chama mark hoffman.
    e as partes que mais gosto sao as armadilhas e cada ves vao sendo mais agrecivas .
    eu ouvi falar do jogo da serie e pelos comentarios que vi parece muito bom


    p.s : eu amo o filme saw

    ResponderExcluir
  3. Muito boa a sua resenha... parabéns!!!

    ResponderExcluir
  4. Sérgio Corrêa Filho13 de fevereiro de 2012 18:16

    Parabéns pelo post, bem produzido para os cinéfilos q gostam d saber as entrelinhas dos filmes

    ResponderExcluir
  5. parabens a sua resenha ficou muito boa e e verdade perda toda a graça depois do tres, eu queria q vc fisesse uma resenha sobre chucky valeu fico show

    ResponderExcluir