Pages

15 de ago de 2011

Professora sem limites


Professora Sem Classe (Bad Teacher, 2011), é um daqueles filmes que você sairá do cinema pensando: o filme é bem diferente do que pensei que era. Dirigido por Jake Kasdan, e estrelado por Cameron Diaz e Justin Timberlake, o longa é uma comédia politicamente incorreta, daquelas de você colocar a mão na cabeça e pensar: "como ela pode fazer isso?", com situações fora do normal. No elenco estão ainda Jason Seigel, Lucy Punch e Phyllis Smith.

Elizabeth (Cameron Diaz) é uma professora recém divorciada, que odeia dar aulas e é totalmente maluca. Ela tem um sonho de encontrar um cara rico que a sustente, para deixar de lecionar e ter a vida ganha. O professor Scott (Justin Timberlake) chega para substituir uma professora que saiu, e Elizabeth rapidamente vê nele o cara ideal para sustenta-la, e ela decide colocar silicone para conquistá-lo. Mas Elizabeth não tem dinheiro para nada, e ela irá aprontar muito na escola para conseguir um dinheiro. O problema maior surge quando Scott se apaixona pela sua totalmente correta colega de profissão, a professora Amy (Lucy Punch), e as duas farão de tudo para conseguir agarrar o novo professor. 


A primeira coisa que você tem que saber ao assistir Professora Sem Classe, é que se trata de uma comédia totalmente errada com situações completamente absurdas. O filme não mostra aquela história de professora querida e seus alunos pirados que aprontam altas confusões. O longa é bem original, cheio de piadas, e claro, palavrões. É até estranho ver a atriz Cameron Diaz falar tanto palavrão e fazer tanta "merda" em um único filme. Sim, ela faz muita coisa errada para conseguir o que mais quer: colocar silicone para conquistar o novo professor, já que ele prefere mulheres com peitos enormes. Apesar de fazer tudo errado na história, Cameron Diaz está excelente e super engraçada no papel, convencendo no jeito grosso da personagem: fala palavrões, irresponsável, só pensa em dinheiro, comete crimes; nem parece a doce e linda Cameron. Justin Timberlake não colou no papel do professor correto e com umas manias sexuais estranhas, apesar de ter se saído bem. Os outros personagens estão ótimos também, com destaques para Lucy Punch e, principalmente, Phyllis Smith, que uma professora gorda que é super amiga de Elizabeth e é obrigada a ouvir as besteiras que ela fala. 


Professora Sem Classe é uma comédia diferente das outras, totalmente politicamente incorreta, como disse no início. O tema aluno e professor já foi explorado de várias maneiras, e no filme, é bem diferente, tornando bastante original. Na história temos uma professora que é a vilã: prejudica os outros para conseguir o que quer, só pensa nela mesma, que fuma "maconha medicinal", que não gosta de ensinar, não gosta dos seus alunos e nem tá preocupada em melhorar o desempenho da turma; na verdade ela faz isso, mas é só para conseguir mais dinheiro para fazer a cirurgia plástica nos peitos. É uma típica comédia besteirol americana, sem nenhuma vergonha e preocupação em ser correta, com bastante humor negro, palavrões e situações extremamente absurdas. Ao sair do cinema, acredito que o público pensará, "que merda esse filme", mas o espectador tem que entender que não se trata de uma comédia comum, com aquele drama no final quando alguma coisa dá errado e toda a situação depois, e sim um filme no estilo Borat, que foge do correto e que não tá nem ai se a personagem vai se safar ou não, e nem se preocupa muito em dar uma lição de moral. Apesar disso, o filme faz um questionamento sobre o salário dos professores, motivação dos alunos e o ensino em algumas escolas públicas. Elizabeth é uma professora que só faz coisas ruins e só se preocupa com ela, mas chega numa parte do filme onde o lado humano dela fala mais alto, e até decide ajudar um aluno, mas da forma grossa dela, claro. 


O resultado disso é uma comédia nem boa e nem ruim, sem muita coisa para passar ao público, mas que é bastante original, politicamente incorreta, com situações absurdas e bastante humor. Não espere rir muito, mas você irá se divertir bastante com as "merdas" e  loucuras que a professora faz para conseguir colocar o silicone. Resta a pergunta: Elizabeth irá colocar silicone? Professora Sem Classe recebeu críticas medianas, mas isso não deixou de levar o público aos cinemas: o filme estreou nos EUA faturando U$ 31 milhões no fim de semana, faturando mais de U$ 97 milhões nos EUA, e U$ 191 milhões mundialmente. Nada malpara um filme de comédia que custou apenas U$ 20 milhões. Professora Sem Classe estréia nessa sexta, dia 19 de agosto, e provavelmente terá cenas editadas por causa dos vários palavrões que a professora sem classe diz. 














2 comentários:

  1. Parece divertido, bem sem noção.

    http://cinelupinha.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Não tem nada ver com a vida real..imagina se as professoras agissem assim..rsrs

    ResponderExcluir