Pages

1 de nov de 2011

O Fim do mundo de Lars Von Trier


Não assisti nenhum filme do diretor Lars Von Trier e nem sei direito como é o estilo de seus filmes, já que cada diretor tem um estilo próprio. O que me atraiu no novo trabalho do diretor, Melancolia (Melancholia, 2011), é o tema e a forma como ele é abordado: o fim do mundo. Em Melancolia, o fim do mundo é mostrado sem missões no espaço e sem todo o drama da população, e sim, apenas a reação dos personagens em relação a isso, enfatizando o título do filme, melancolia. No elenco estão a ex-Mary Jane do Homem Aranha, Kristen Dunst, Charlotte Gainsbourg,  John Hurt, Kiefer Sutherland e Alexander Skarsgård.

O filme mostra o drama de duas irmãs, Justine (Kristen Dunst) e Claire (Charlotte Gainsbourg), que acabam entrando em depressão por causa da aproximação de um enorme planeta, chamado Melancholia. A medida que o planeta se aproxima da Terra, as duas irmãs ficam depressivas e acabam atrapalhando a vida das pessoas ao seu redor: Justine não fica feliz no dia do seu casamento, e Claire acaba entrando em estado de pânico ao saber que o planeta irá colidir com a Terra.


Melancolia é dividido em duas partes: na primeira, o diretor nos apresenta a reação de Justine, que está na festa de seu casamento onde deveria estar feliz e entusiasmada, mas que acaba entrando em estado melancólico. A segunda parte, nos é apresentado a reação de Claire, irmã de justine, que é casada com o personagem de Kiefer Sutterland e tem um filho pequeno. A primeira parte não enfatiza a aproximação do planeta Melancholia com a Terra, e o diretor optou por mostrar apenas a reação de Justine, sem ela saber sobre isso, deixando apenas no suspense. A segunda parte, bem mais interessante e melhor do que a primeira, mostra a reação de sua irmã, Claire, enfatizando completamente a aproximação do fim do mundo. Nessa parte, Justine vai morar na casa de sua irmã, já que passou do estado de melancolia para a depressão profunda, deixando sua irmã mais preocupada, onde acaba entrando em estado de pânico ao saber que o planeta vai realmente atingir a Terra. Como dito antes, aqui o diretor não mostrou missões no espaço e o drama mundial presente nos filmes do gênero, e optou por mostrar a reação desse grupo de pessoas citadas, no caso, um drama familiar. Todos os atores estão em excelentes atuações, principlamente Kristen Dunst, que acabou levando o prêmio de melhor atriz no festival de Cannes esse ano pelo filme.


O filme do diretor dinamarquês é um daqueles filmes que se destacam nas atuações de seus personagens, mas dessa vez, isso não é o principal atrativo do longa, e sim, o visual incrivel, graças a excelente direção de arte e a fotografia. Tirando os primeiros sete minutos do longa, que explicarei logo depois, a segunda parte contém as cenas mais belas do cinema, dos últimos filmes que assisti. As cenas que o planeta aparece são lindas, e impressionantes, parecendo aqueles filmes de ficção onde dois planetas tem órbitas bem perto. A cor azulada do planeta Melancholia dá um tom mais belo e melancólico ao filme, mesmo nas cenas durante o dia. Duas cenas que merecem destaque: quando o planeta chega bem perto da Terra, e fica enorme, que acaba nascendo e brilhando o lago em frente à mansão da casa de Claire; e a cena final, quando o planeta está prestes a se chocar com a Terra, nos tristes momentos finais do filme. Sobre os primeiros sete minutos do filme: nessa parte, o diretor nos mostra cenas em "slowmotion" (câmera lenta), dos últimos momentos dos personagens antes do choque dos dois planetas. Claro que na cena final acontece de forma diferente, mas são pistas que o diretor coloca sobre alguns acontecimentos do longa. A bela e triste trilha sonora, bem no estilo apocalíptico, embala a cena inicial, assim como durante o longa todo, nos passando uma sensação de tristeza e pavor, lembrando, novamente, filmes apocalípticos antigos.

Melancolia é um filme totalmente diferente do que estamos acostumados a assistir, e muita gente não vai achar nada interessante por mostrar de uma outra forma o fim do mundo. No filme, Lars Von Trier mostra o estado da melancolia e depressão que os personagens passam. É um pouco confuso as vezes, mas é um filme belo, diferente, com um visual arrebatador, trilha sonora incrível, mostrando uma reação do ser humano sobre o perigo, um sentimento que muitos já passaram, e poderão passar assistindo o filme. Melancolia é um filme estranho, mas belo.












2 comentários:

  1. Esse filme é simplesmente fantástico. Consegui ter a honra de assistir no cinema. O filme me arrepiou do inicio ao fim. Sem falar dos efeitos e espetaculares...e da trilha sonora utilizar 'Tristão e Isolda', tocada pela Prague Symphony Orchestra que já tocou também com Within Temptation em um dos melhores cds deles. O filme foi PERFEITO.

    ResponderExcluir
  2. Recomendo pra você de Lars Von Trier: "Dançando no escuro". Nesse é meio musical e tem Björk. Foi com esse filme que eu conheci Lars Von Trier...e me surpreendeu.

    ResponderExcluir