Pages

19 de jan de 2012

Invasão elétrica


Mais um filme sobre invasão alienígena estreou nos cinemas, mas de uma forma um pouco diferente: ao invés de o alienigena ser um monstro, em A Hora da Escuridão (The Darkest Hour, 2011), ele é uma energia que fica transparente. O único ator mais conhecido é Emile Hirsch, de Speed Racer e Show de Vizinha. O elenco ainda conta com Max Minghella, Olivia Thrilb, Rachael Taylor e Joel Kinnaman

Sean (Emile Hirsch) e Ben (Max Minghella) vão para Moscou apresentar um programa de Software para uma empresa da cidade, onde acabam conhecendo duas turistas americanas, Anne (Rachel Taylor) e Natalie (Olivia Thrilb). Durante uma festa, toda a cidade fica sem energia, e logo, estranhas luzes amarelas descem do céu. Essas luzes se revelam ser seres alienigenas com a missão de destruir a raça humana e tomar toda a energia e recursos de nosso planeta. Sendo alguns dos poucos sobreviventes da invasão, e junto com outros sobreviventes que acabam encontrando, os quatro amigos decidem fugir da cidade, antes que as criaturas o encontrem.



Você vai encontrar várias críticas ruins de A Hora da Escuridão, mas o filme não é ruim como falam. O enredo e a história não são nada de novidade, mas a diferença do filme está nos motivos da invasão, que são inovadores e bem diferente dos outros de invasão alienígena. O maior problema está no roteiro, sendo sempre a mesma situação: os personagens fugindo do perigo, encontrando outros sobreviventes, que acabam morrendo aos poucos; além de não explicar muito sobre a origem das criaturas elétricas. Falando neles, os aliens são energias, de cor laranja, as vezes transparentes, que se manifestam através de objetos que transmitem eletricidade: lâmpadas, carros, postes, enfim.  Além dessas criaturas serem interessantes, o motivo da invasão é explicado mais para a metade, e  explicação é o que ajuda a ser inovador. Dois principais elementos em filmes desse gênero, são a identificação e a preocupação com os personagens. Não sentimos tanto isso, porém, quando alguns deles morrem, dá para ficar um pouco chocado (eu fiquei, pelo menos).



Os efeitos especiais são bem interessantes, mas o 3D não foi muito bem utilizado. O longa tem algumas cenas boas, como a cena final, dentro do onibus, e a parte do prédio, onde encontram os primeiros sobreviventes, além das cenas onde enormes energias estão destruindo os prédios da cidade. Dois elementos importantes dão um toque especial ao filme: as belas paisagens da deserta Moscou, e a ótima trilha sonora, bem bolada e cheia de mistério para um filme onde a cidade está completamente vazia. Muitos sairam do cinema dizendo que o filme é ruim, mas não é para tanto. No fim, A Hora da Escuridão irá agradar poucos, sendo mais um típico filme sobre invasão alienígena, mas com alguns detalhes diferentes e interessantes. O final deixa uma brecha para uma continuação... será? O filme estreou dia 25 de Dezembro nos EUA, e ja faturou U$20 milhões nos EUA, e já está nos U$50 milhões mundialmente.









Nenhum comentário:

Postar um comentário