Pages

12 de jan de 2012

O garoto e o cavalo


6 INDICAÇÕES AO OSCAR
MELHOR FILME, TRILHA SONORA ORIGINAL, FOTOGRAFIA, DIREÇÃO DE ARTE, SOM e EDIÇÃO DE SOM.

Steven Spielberg, meu diretor preferido, que fez filmes inesquecíveis, retorna para o cinema com o drama de guerra Cavalo de Guerra (War Horse, 2011). Estrelado por Jeremy Irvine, Emily Watson, Peter Mullan e Davi Thewllis, Cavalo de Guerra mostra a amizade de um garoto e um cavalo, que acabam sendo separados pela primeira guerra mundial, mas que seus destinos continuam ligados. O filme é baseado no livro de Michael Morpurgo.

Albert Narracott (Jeremy Irvine) vive em uma fazenda, onde ele e seus pais vivem de aluguel e precisam plantar para sobreviver. Seu pai, Ted, compra um cavalo em um leilão para ajudar nas plantações, para alegria de Albert e desespero de Rose (Emily Watson). Albert acaba ensinando tudo para o seu cavalo,  e uma forte amizade surge entre eles. Mas a felicidade acaba quando a Inglaterra anuncia a primeira guerra mundial, com a Alemanha, e o cavalo é vendido para servir na guerra. Durante o filme, o cavalo conhece outras pessoas, e aonde passa, demonstra bondade e esperança em um momento terrível da história.


Cavalo de Guerra não é o melhor filme da carreira de Steven Spielberg, mas também não é ruim como falam. O filme tem sim alguns clichês de filmes de guerra (necessário), além do melodrama e da música triste e repetitiva de John Williams. Porém, as atuações dos personagens, direção de arte, fotografia, e as excelentes e bem montadas cenas da guerra, fazem o longa ser um merecedor vencedor no Oscar desse ano. O filme é  muito  mais do que um cavalo que fica correndo pela guerra e salvando o dia: o cavalo representa a esperança em um tempo terrível da história da humanidade, a primeira guerra mundial. Isso é claramente visto na cena onde o cavalo fica preso nos arames farpados, e dois soldados, um inimigo do outro, vão ajudar o animal a se livrar dos arames. Durante o salvamento, os soldados conversam, se ajudam, e fazem até piadinhas, em um momento de trégua durante a guerra. E ainda, o cavalo passa pela vida de vários personagens durante a trama, deixando uma marca de bondade e esperança; onde muitos deles terem suas vidas destruídas pela guerra.


Em termos técnicos e visuais, Cavalo de Guerra não deixa nada a desejar, mostrando lindas paisagens, inclusive algumas que se passam durante a guerra. As cenas durante a guerra são bem montadas e executadas, apesar de não ser tão realistas quanto o seu outro filme de guerra, O Resgate do Soldado Ryan (até porque, Cavalo de Guerra é mais voltado para a família). O roteiro é uma diversificação de personagens, onde todos acabam tendo contato com o cavalo, apesar de não mostrar e explicar claramente o que aconteceu com alguns deles. Cavalo de Guerra tem dois momentos bem distintos: a primeira parte, quando o garoto ensina o cavalo e um laço de amizade se cria, e depois quando anunciam a guerra, onde acontece todo o drama da história. Aliás, o drama está bastante presente, embalados na linda trilha sonora, porém repetitiva, de John Williams.



Mesmo tendo elementos apelativos para fazer o espectador chorar, Cavalo de Guerra emociona ao mostrar uma amizade entre um cavalo e um garoto (onde Hollywood se acostumou a mostrar a amizade entre um cachorro e um homem), que mesmo com a guerra, seus destinos continuam ligados, e a amizade entre eles permanece à todo o instante . É um filme diferente do que é lançado hoje em dia, com um visual lindo, principalmente a cena final, que merece ser indicado à algum Oscar desse ano. 










Um comentário:

  1. filme perfeito, e eu que sou louca por cavalos, ai que me emociono! huahuhauhau

    ResponderExcluir