Pages

8 de fev de 2012

Como nasce um assassino


Não é muito comum mas algumas vezes aparecem noticias de estudantes que mataram outros estudantes e professores, em um massacre terrível nas escolas e faculdades. Vários filmes já mostraram esse tema, mas Precisamos Falar Sobre Kevin (We Need To Talk About Kevin, 2011), mostra esse tema com um ponto de vista diferente: como se criou esse "monstro" que cometeu um crime terrível, e a reação de seus familiares com a situação. No elenco estão Tilda Swinton, John C. Reilly e Ezra Miller

O filho mais velho de Eva (Tilda Swinton) e Franklin (John C.Reilley), Kevin (Erza Miller) cometeu um massacre em sua escola, matando vários alunos e professores, e acaba sendo preso.  Eva começa a lembrar de todos os momentos de sua família, desde o  nascimento de Kevin, até o massacre cometido por ele. 


O enredo de Precisamos Falar Sobre Kevin mistura momentos atuais após o massacre, mostrando Eva seguindo em frente com sua vida e as consequências do ato de seu filho, com lembranças desde quando conheceu Franklin, passando pelo nascimento e a criação de Kevin, até na sua fase adolescente, onde ele cometeu o crime. O filme mistura drama com cenas de terror, utilizando o tom vermelho em várias cenas, enfatizando o crime cometido pelo garoto. O roteiro é um pouco confuso, e de início, causará um estranhamento no espectador, já que ele mistura fatos atuais com lembranças do passado. A história e o desenrolar, assim como os momentos tensos do longa, deixam o espectador aflito, prendendo a atenção cada vez mais quando chega no momento clímax do filme: a cena do massacre. Apesar de não  mostrar muito, o filme choca nos resultados desse crime. O roteiro ainda faz um questionamento interessante e verdadeiro: todos da cidade culpam Eva pelos atos cometidos por Kevin. Ela é realmente culpada? Foi má criação? Kevin já era assim mesmo?


Mas não são só alguns momentos de tensão que choca o espectador. O melhor do filme são as atuações dos personagens, três deles na verdade: Tilda Swinton, e os dois atores que interpretam Kevin na fase criança (Jasper Newell) e adolescente (Erza Miller). Tilda Swinton (de O Curioso Caso de Benjamin Button, Queime Depois de Ler, e a rainha branca de As Crônicas de Nárnia) está em uma excelente atuação, demonstrando raiva, tristeza e momentos de alegria com a maior naturalidade. O grande destaque mesmo, pra mim, foi o ator mirim Jasper, que interpreta Kevin na fase criança. O garoto em questão é malcriado, fala palavrão, é mimado, irritante, manipulador; tudo isso o jovem ator consegue passar para o espectador com o maior talento possível. É uma atuação impressionante mesmo. Lembrando também de Erza Miller, que interpreta Kevin na fase adolescente, a formação do psicopata antes de cometer o crime. Ele está realmente assustador. 


Precisamos Falar Sobre Kevin é um dos poucos filmes capaz de deixar o espectador emocionalmente tocado após o fim do filme. Com um roteiro ágil, cenas e situações chocantes, atuações convincentes e um final que promete mexer com seus sentimentos, o longa mostra, de uma visão totalmente diferente, a formação de um assassino, e foi uma pena ter sido esquecido no Oscar. Um filme perturbador e chocante. É, realmente é preciso falar sobre Kevin, e durante um bom tempo ainda.













Um comentário:

  1. Adorei esse filme! De início fiquei confusa com os flashbacks, mas depois consegui acompanhar. O Kevin criança era o demo, esse ator mirim se destacou mesmo nas cenas. E o final foi muito emocionante, né? Estou louca para ler o livro *-*

    Beijos, Paulo!

    x thanny

    ResponderExcluir